Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 


Cidade da Praia, 26 Nov (Inforpress) – A Cidade da Praia vai ser palco, de 04 a 06 de Fevereiro de 2014, da I Cimeira “Africa Innovation Summit”, organizada pela empresa privada Ihaba Buildings Enterprises, anunciou hoje o administrador José Brito.

Em declarações à Inforpress, o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros disse que o propósito da Cimeira é criar as bases para um diálogo dos actores de várias áreas de desenvolvimento sobre a inovação em África, incluindo decisores políticos, empresários, inovadores, pesquisadores, académicos e investidores.

Estes “stakeholders”, segundo José Brito, deverão estar engajados num esforço conjunto para fazer uma avaliação estratégica do percurso feito pelo continente, procurar soluções e envolver os actores-chave na construção de um ambiente mais propício à inovação em África.

A ambição da Ihaba, criada em 2012 em Cabo Verde com o objectivo de construir empresas e fomentar a inovação em África, é que a Cimeira seja uma plataforma para compartilhar experiências e facilitar a aprendizagem entre países, pessoas e empresas, informou.

 

O evento, referiu, prevê promover mudanças, através da criação de uma rede africana de “stakeholders” para a inovação, que se encarregará da formulação de um plano de acção e da defesa de reformas políticas, bem como da conexão de empreendedores a redes profissionais e a potenciais investidores.

A Ihaba realiza esta cimeira em parceira com o Governo de Cabo Verde, o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), a Agência para o Desenvolvimento Económico e a Inovação (ADEI), a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e a Nova Parceria para o Desenvolvimento da África (NEPAD), entre outros parceiros nacionais e internacionais, tendo como patrono o ex-Presidente da República Pedro Pires.

José Brito adiantou, por outro lado, que a Cimeira vai acolher o lançamento do “Seed Africa Innovation Fund”, para colmatar o défice existente de entidades para financiar os “start-ups” em África, devido à elevada taxa de mortalidade das empresas, e o “Seed Africa Start-up Accelerator”, uma incubadora que tem por finalidade ajudar os jovens com ideias a implementá-las aqui no país.

 

“Queremos fazer de Cabo Verde o centro de inovação para a África”, assegurou, admitindo que se trata de um objectivo “extremamente ambicioso”, mas possível desde que haja ideias e ousadias para “fazer coisas”, sendo certo que a criatividade é também um elemento essencial do crescimento económico e da competitividade.

A Ihaba defende, por isso, uma maior ênfase na inovação que, no triângulo inovação, formação e empreendedorismo, constitui o “parente pobre” do processo de desenvolvimento, assinalou o administrador, para quem a prioridade é pôr a inovação na agenda do desenvolvimento do continente.

“Em África, ainda, continuamos com a agenda de luta contra a pobreza” e, se esta situação continuar, ficará ”para trás”, argumentou, para justificar a ousadia da Ihaba em organizar esta Cimeira da Praia e por iniciativa de uma empresa privada.

Geralmente, lembrou, estas iniciativas fazem parte da agenda dos Governos, mas o desenvolvimento deve interessar a todos, nomeadamente o sector privado, as universidades, os investigadores etc., integrando o Governo.

 

fonte: AfricaInnovationSummit

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:01

 

Sem Título O Concurso Start Up Universitário foi um projecto lançado a nível nacional pela ADEI em parceria com o MESCI e já segue na sua segunda edição, na qual apresentamos o balanço da primeira fase. Nesta, o número de candidatos supera os da 1ªedição, resultando assim em maior número de universitários capacitados e preparados para o auto-emprego.

 

À semelhança do concurso anterior a Universidade pública – UNICV, apresentou maior número de candidaturas (22) e de candidatos (54), tendo assim 39% das candidaturas. Seguidamente encontra-se a universidade Jean Piaget com 20% das candidaturas (13 projectos), ISCEE apresentou 7 candidaturas correspondendo a 13%. A universidade Lusófona, Uni-Mindelo, ISCJS e Universidade de Santiago ambas apresentaram 4 candidaturas cada. Na Ilha de São Vicente, 64 candidatos apresentaram 25 ideias de projectos enquanto na Ilha de Santiago, foram apresentados 31 ideias de projectos por 70 candidatos. De realçar que o número de candidatos excede o número de ideias apresentadas, tendo em conta que as candidaturas podiam ser apresentados de forma individual ou em grupo, podendo os grupos não ter mais do que 5 elementos. Isto deveu-se à maior coesão dos universitários que preferiram apresentar candidaturas em grupo em detrimento do individual. A nível nacional foram apresentadas 56 ideias de projectos com um total de 134 participantes. 

 

O desenvolvimento e a consolidação do Sistema de Ensino Superior Cabo-verdiano passa necessariamente pela promoção de uma cultura de empreendedorismo no seio das comunidades académicas, de forma a aumentar o nível de empregabilidade dos formados. O Concurso «Start-Up Universitário!», visa avaliar e premiar ideias e planos de negócios, e constitui uma importante ferramenta de apoio ao empreendedorismo com vista à criação de um sector privado forte e gerador de emprego qualificado. Tem como público-alvo os universitários que se encontram no último ano de licenciatura bem como os recém-licenciados (1 ano).

 

Fonte: ADEI

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:18







Alguma sugestão em relação ao nosso Blog?