Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O Centro de Empreendedorismo e Prestação de Serviços da Uni CV (CEPS/Uni CV) estará a apoiar-te.

 

Conheça o CEPS e inscreva-te no CEPS!
O Objetivo Central do CEPS é o fomento de iniciativa empreendedora ou empresarial a partir de uma ideia de negócio ou atividade económica visando a criação de autoemprego nos jovens diplomados pela Uni-CV.


Os formandos serão submetidos a programas de capacitação e assistência técnica que lhes permite desenvolver competências sólidas na gestão inovadora e criativa do seu negócio. O programa compreende 4 módulos:
             

 a)Empreendedorismo & Inovação,

 b)Plano de negócio;

 c)Treinamento e incubação

 

A fase da incubação dos capacitados no CEPS será feita em estreita parceria com o BIC (organismo da ADEI) e a Rede nacionais de incubadoras. Também existe possibilidade de mobilidade internacional para programas de estágio ou incubação dos formandos do CEPS.
O CEPS vem apoiando ou apoiará nas experiências das Universidades: Aveiro (Portugal), Canárias, Pará (Brasil), EOI (Madrid) com as quais tem tido sessões de trabalho .
Haverá um custo simbólico para a capacitação que neste momento está a ser consensualizado com o representante dos estudantes tendo em conta a baixa renda deste segmento alvo.


A formação terá uma duração de 4 meses, aproximadamente.
O período de inscrição na primeira fase decorrerá até 20 de Fevereiro de 2015. Queira encontrar o link inscrição aqui.

 

Fonte: ADEI

PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:23

Reitora UNICVA professora universitária Judite Nascimento foi eleita como primeira reitora da Universidade de Cabo Verde, com 50,9% dos votos. Com o lema “Por uma Universidade Moderna e Democrática, nô juntá mon”, a candidatura de Judite Nascimento reuniu a maioria dos votos da comunidade académica e dos funcionários da Universidade. A nova reitora assegura que vai haver mudanças na tabela das taxas de emolumentos.

 

A tabela das taxas de emolumentos vigente na Universidade de Cabo Verde desencadeou uma manifestação dos estudantes quer nos Departamentos do Mindelo, quer na Praia. Na ilha de São Vicente, os alunos da UNI-CV decidiram não pagar a taxa de exame normal imposta pelo Conselho Directivo da Universidade e boicotaram a realização dos exames.

 

Os  argumentos do anterior Conselho Directivo em relação ao pagamento da taxa de exame, no valor de 1000 escudos na segunda chamada, não  convenceu os estudantes que se disseram desprevenidos perante mais um pagamento para além dos 9000 escudos de propinas/mês que muitos afirmam ter muitas dificuldades em pagar. Outros foram mais longe e olharam para esta taxa, que após os protestos foi reduzida para 500 escudos, como uma forma da escola embolsar mais dinheiro por parte dos alunos.

 

Nova era

Com a eleição da nova reitora, Judite Nascimento, a situação, ao que parece, vai mudar de figura. A nova reitora da UNI-CV esteve reunida com o Primeiro-ministro José Maria Neves, para lhe apresentar o plano de trabalho e estratégia que pretende implementar na Universidade Pública.

Tendo a excelência e a criação de condições para a valorização da comunidade académica como meta, Nascimento apresentou as primeiras medidas que contemplam a tabela das taxas de emolumentos que desencadeou uma manifestação dos estudantes.

 

Perspectivas

“Nós pretendemos eliminar a taxa de exame normal, porque consideramos ser injusta, pois o aluno paga a propina e, nessa base, já está incluído o ciclo completo. O aluno só irá pagar uma taxa de exame se reprovar numa disciplina e pretender, através de uma prova de recurso, anular essa reprovação. A taxa paga por uma renovação de bolsa passa a ser gratuita, porque nós consideramos que para fins sociais, esse serviço não deve ser pago” explica a nova reitora da UNI-CV.

 

Judite Nascimento que vai assumir as novas funções após a homologação dos resultados das eleições, anunciou outra medida que abarca os casos de inscrições para o Mestrado. A professora universitária reitera que na UNI-CV há um sistema, pelo que uma pessoa candidata para um curso de Mestrado, paga uma taxa de candidatura, outra de inscrição e depois a propina, por isso, apresenta a solução.

“Nós pensamos que esse sistema está a reduzir o acesso aos nossos Mestrados. E uma das medidas que pretendemos adoptar é fundir essas taxas numa só, o que reduz os custos de entrada e garante o maior número de pessoas a aceder aos cursos”.

 

Fonte: NoticiasdoNorte

PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:27









Alguma sugestão em relação ao nosso Blog?